Scroll Top

 

Filie-se ao SINDJUFE-BA que luta pelos seus direitos. Junte-se a nós!

 

Filie-se ao SINDJUFE-BA que luta pelos seus direitos. Junte-se a nós!

HOME

Servidores de Feira de Santana discutem sobre as novas mobilizações do dia 18 de março
12/02/2020

 

A diretoria do SINDJUFE-BA representado pelos coordenadores Frederico Barboza e Jayr Figueiredo realizou assembleia setorial para os servidores lotados na Justiça Federal, Justiça do Trabalho e Justiça Eleitoral, em Feira de Santana. A visita que ocorreu na última segunda-feira (10), no auditório do prédio da Justiça Federal, discutiu sobre os ataques do atual governo, a exemplo da proposta de Reforma Administrativa além da construção da Greve Geral do dia 18 de março. 

Na assembleia, os coordenadores deram os informes e atualizaram os servidores a respeito da nova greve geral marcada para o dia 18 de março e que será mais um importante momento na luta pela defesa dos direitos dos trabalhadores, do serviço público, contra a reforma administrativa e as PECs emergenciais que afetarão diretamente a vida dos servidores e da população em geral.

“Precisamos iniciar um processo grande de organização e mobilização pra chegar no dia 18 de março com a possibilidade de uma resposta minimamente adequada pro governo. A saída pra gente é a nossa capacidade de organização, a nossa capacidade de fazer enfrentamento, independente de que governo esteja nos atacando”, afirmou o coordenador Frederico Barboza.

Os servidores presentes registraram a importância de discutir mais sobre a conjuntura atual e de chamar nova assembleia setorial para debater sobre as mobilizações no interior, mas afirmaram o apoio nesta ação.

“Quem está com a cabeça na forca somos nós servidores públicos e a ideia é fazer uma mobilização geral com todos os trabalhadores nas ruas, sejam eles federais, estaduais e municipais”, ressaltou o coordenador Jayr Figueiredo.

Os ataques a classe trabalhadora e a população por meio da reforma trabalhista, a reforma da Previdência, o sucateamento do serviço público, terceirização, a dívida pública e a declaração do ministro Paulo Guedes que comparou os servidores públicos a “parasitas”, também foram parte dos debates na atividade.

O SINDJUFE-BA compreende a tensão estabelecida entre os servidores do Poder Judiciário Federal diante dos ataques devastadores do governo Bolsonaro, mas reafirma que o momento é de união, é de força, é de urgência para construção da greve geral como forma de responder à altura e dar um basta em relação ao que tem sido feito contra os trabalhadores.

 

Imprensa SINDJUFE-BA



 
>>>>>>>>>>